Diplomacia Vegana

Posted: 27/06/2011 in *** Todos ***, Veganismo

Diplomacia Vegana

 Você conseguiu! Finalmente decidiu aventurar-se e eliminar a carne para sempre. A compaixão que sente pelos animais, pelos homens e pelo meio ambiente será percebida quilômetros a sua volta. As pessoas olharão para você e dirão: “Lá vai alguém que realmente respeita a vida. É um herói!” Seus pais se encherão de orgulho e seus amigos sempre o convidarão, só para serem vistos em sua companhia. Uma história provável? Não no planeta Terra. Temos de encarar a realidade: quando nos tornamos vegetarianos, a família e os amigos não ficam entusiasmados, muito pelo contrário. Afinal, existem poucas situações sociais que não envolvem comida e, em nossa cultura, isso geralmente significa carne. Seu estilo de vida vegetariano pode causar algumas inconveniências, para dizer o mínimo. Sua mãe ficará preocupada em como reorganizar o jantar do Natal para incorporar sua nova dieta. O tio Pedro vai dar uma bronca quando souber que seu melhor companheiro de pescaria não está tão entusiasmado para a excursão desse ano.

Você se sentirá um pouco constrangido ao explicar aos colegas de trabalho que não come mais carne, depois de eles terem colocado uma picanha na brasa para sua festa surpresa. Tornar-se vegetariano, você pode imaginar, fará pessoas aplaudirem sua contribuição altruísta à ecologia, mas as deixará constrangidas com maior freqüência. 

Esse constrangimento pode não ser de todo mau: pode fazer os indivíduos refletirem cuidadosamente sobre suas próprias escolhas. Mas mesmo assim, você gostaria muito mais de estar se divertindo com os amigos do que causando-lhes constrangimentos. Sua dieta vegetariana pode fazer sua família sentir-se como se você estivesse virando as costas para valores e tradições. As refeições sempre foram um aspecto importante da socialização em qualquer cultura. Você criou um ponto de discórdia em uma área que seus pais pensavam que sempre uniria a todos. As pessoas que amamos podem ter dificuldade em compreender sua opção. Amigos e conhecidos podem tomar seu vegetarianismo como uma crítica às suas escolhas. Os que não conhecem muitos alimentos vegetarianos podem sentir-se distantes de você por suas escolhas alimentares serem tão diferentes. É bem possível que a decisão de excluir a carne de seu cardápio torne-se uma fonte de ansiedade e frustração, particularmente quando se encontrar em um grupo de amigos onívoros. Felizmente, não precisa ser assim. Em vez de gerar tensão para você e aqueles que o cercam, sua dieta vegetariana pode ajudá-lo a compartilhar todo um mundo novo de experiências valiosas. Depende muito de sua atitude, seu humor e diplomacia. Esse capítulo o ajudará em várias situações sociais comuns aos vegetarianos. A primeira parte leva em conta perguntas que em geral são feitas a vegetarianos e dá algumas respostas. Destina-se a ajudá-lo a melhorar seu bem-estar e sua confiança no caso de alguém lhe fazer essas perguntas. A segunda parte convida-o a colocar-se em algumas situações sociais difíceis. Como você pensa que reagirá? 

Considere a seleção de respostas apresentadas no texto. Os resultados prováveis também são discutidos. Quando você pensar nessas situações e nas saídas para elas, estará se preparando para enfrentar desafios de uma maneira eficaz e positiva. 

As Perguntas 

Um dos aspectos interessantes de tornar-se vegetariano é ouvir as perguntas das pessoas um pouco perturbadas com sua opção. A resposta para cada pergunta dependerá, pelo menos em parte, da situação em que a pergunta for formulada. Muitas pessoas têm interesse genuíno pela opção vegetariana ou curiosidade acerca de sua experiência. Você desejaria ter tido algumas horas para preparar uma boa resposta. Algumas pessoas consideram a possibilidade de diminuir o consumo de carne ou até de eliminá-la, mas simplesmente não sabem como fazer. Essa pode ser uma real oportunidade de compartilhar algumas sugestões práticas ou alguns insights profundos sobre a conexão entre nossas escolhas alimentares e nossa vida diária. Outros podem estar apenas caçoando e, nesse caso, é melhor dar uma resposta apropriadamente jocosa. As perguntas mais comuns feitas aos vegetarianos são “O que você come?” e “Por que você é vegetariano?” 

Pergunta Número 1: O Que Você Come? 

“O que você come?” é uma forma educada de perguntar detalhes da sua dieta. A pessoa que está perguntando pode estar curiosa sobre o gosto e a variedade dos alimentos vegetarianos ou o tempo necessário para prepará-los. Quando alguém faz essa pergunta, provavelmente está interessado em outras coisas, além do que você comeu no jantar na noite passada. As perguntas verdadeiras parecem-se com as seguintes: 

Perguntas Relacionadas ao Gosto e à Variedade

A comida vegetariana não é sem graça? Você come feijão todos os dias? Não fica com muitos gases? Você gosta mesmo do sabor da comida vegetariana? Não sente falta de carne? O que você come em ocasiões especiais? Para muitas pessoas, uma refeição apropriada consiste em carne e batatas. Sua experiência com alimentos vegetarianos limita-se a macarrão e queijo ou feijão em lata — alimentos básicos, econômicos e rápidos de preparar que podem ser usados em caso de emergência, mas nunca em um jantar de domingo. O que mais existe para vegetarianos? Eles naturalmente questionam porque alguém iria voluntariamente optar por se alimentar dessa forma. 

Perguntas Relacionadas à Preparação dos Alimentos

Você passa horas em volta de um fogão quente todos os dias? Não é preciso planejar com muita antecedência, para dar tempo de deixar de molho e cozinhar o feijão? Você planta todos os vegetais que consome e congela-os para o inverno. Não é difícil encontrar todos esses alimentos diferentes? Muitas pessoas têm a impressão de que a cozinha vegetariana consome muito mais tempo do que cozinhar com carne. Imaginam, talvez, que os vegetarianos gastam horas na cozinha todos os dias moendo farinha, assando pão e cozinhando feijão. 

As Respostas

Quando as pessoas perguntam: “O que você come?”, tente descobrir o que elas realmente gostariam de saber. Conte algumas das suas experiências e aventuras quando deixou de comer carne. Atraia o interesse delas descrevendo alguns de seus pratos favoritos. Pratos vegetarianos feitos por gourmets podem competir com os melhores pratos de carne. Você sabia que pratos vegan do chef Ron Pickarski ganharam medalha de ouro na Olimpíada Culinária? Eis uma amostra do tipo de resposta que você pode dar: 

“Como quase tudo o que você come, exceto que em lugar de carne uso tofu, feijão, nozes e sementes como fonte principal de proteína. Com esses produtos faço assados vegetarianos com molho, empadas, pastelões e algumas comidas orientais ótimas, como pratos indianos ao curry, ensopados africanos e falafels do Oriente Médio. Para refeições rápidas e fáceis, refogo tofu, faço macarrão, tacos ou hambúrguer, com recheio preparado em casa, congelado ou industrializado. O fato de ter me tornado vegetariano abriu um mundo culinário muito mais criativo. A variedade de alimentos que como agora é maior de que quando comia carne.” Ou uma versão mais abrangente: 

“Você ficaria impressionado com a incrível variedade de alimentos disponíveis para vegetarianos. Quando comecei a consumir menos carne, experimentei tofu e vários tipos de feijão. Não fiquei muito entusiasmado porque não sabia como prepará-los, então decidi fazer um curso de culinária vegetariana. Logo percebi que preparar pratos vegetarianos excelentes não é mais difícil do que preparar carne: é apenas diferente. Não foi preciso muito tempo para aprender o básico necessário para preparar ótimos pratos vegetarianos. Agora sei como transformar tofu em “ovos mexidos”, proteína de soja texturizada em ótimos assados para o feriado e feijão preto em uma maravilhosa sopa chinesa picante. Comprei alguns livros excelentes de receitas vegetarianas e experimentei várias delas, desde sushi até torta de queijo sem lacticínios. Encontrei também pelo menos uma dúzia de receitas diferentes que podem ser feitas em menos de meia hora (algumas em menos de 15 minutos). Agora me sinto um profissional e realmente adoro a comida. E também não me interesso mais por alimentos muito doces e gordurosos. Afetou também o meu bem-estar. Tenho mais energia e mais resistência do que antes.” 

Há também ocasiões singulares em que alguém faz a pergunta de maneira jocosa. Você gostaria de dar uma resposta maluca perfeita, em vez de ficar ali parado dizendo que também come coisas boas. Que tal dizer algo absurdo: 

“É claro que como tofu. Tofu mexido no café da manhã, sanduíche de tofu no almoço, tofu refogado ou hambúrguer de tofu no jantar e torta de tofu de sobremesa. Agradeço a Deus por existir tofu para os vegetarianos.” 

Pergunta Número 2:

Por Que Você É Vegetariano? As pessoas muitas vezes ficam curiosas sobre o que o motivou a abster-se de carne. Foi apenas para melhorar sua saúde, por preocupação com o meio ambiente ou devido a algo “excêntrico”, como uma nova religião ou direito dos animais? Outras pessoas ficam intrigadas com a idéia de tornar-se vegetariano e simplesmente querem saber mais sobre isso. Algumas das perguntas que têm em mente são as seguintes: 

Perguntas Relacionadas à Religião

Você mudou de religião? Você está freqüentando algum culto misterioso? Você ingressou naquele movimento Nova Era? Algumas pessoas associam o vegetarianismo com extremismo religioso. Julgam que se você é vegetariano, provavelmente faz parte de algum movimento radical. 

Perguntas Relacionadas aos Direitos dos Animais

Você não é um daqueles ativistas de direito dos animais, é? O que você acha que aconteceria aos pecuaristas se todos parássemos de comer carne? Você come peixe e frango, não é mesmo? Afinal, não são carne de verdade. Por que cargas d’água deixaríamos de comer lacticínios? Não é preciso matar a vaca para produzi-los. As pessoas têm muita curiosidade com relação aos que optam por abster-se de carne por preocuparem-se com o direito dos animais. Podem se sentir um pouco culpados ou querer provar a si mesmos que essa questão não tem importância. 

Perguntas Relacionadas ao Meio Ambiente

Você acha mesmo que há uma conexão entre comer carne e o estado do meio ambiente? O esterco produzido pelos animais não é bom para o solo? Você é do tipo hippie, adepto do movimento de volta-à-terra que pensa que pode salvar o mundo? Muitas pessoas podem trazer à baila antigas conexões entre meio ambiente, fome humana e nossas escolhas alimentares. Podem questionar se existe alguma base na realidade ou se isso é apenas um mito perpetuado por um pequeno grupo à margem do mundo. 

Perguntas Relacionadas à Saúde e à Segurança

Uma dieta vegetariana pode nos proteger contra doenças do coração e câncer? Como você consegue proteína e ferro em quantidade suficiente, sem carne? Você também alimenta seus filhos dessa maneira? Acha que é seguro? Se uma dieta vegetariana é tão saudável, como é que os vegetarianos que conheço não parecem tão fortes? Se você não bebe leite, como obtém cálcio em quantidade suficiente? Por muitos anos os vegetarianos foram considerados malucos que comem alimentos saudáveis. Hoje um número crescente de pessoas reconhece que uma dieta vegetariana pode não apenas ser saudável, mas nos proteger contra doenças. Entretanto, ainda há algum ceticismo quanto o valor nutricional de dietas vegetarianas, especialmente para as crianças. 

As Respostas

Quando alguém pergunta: “Por que você é vegetariano?”, leve em conta a origem da pessoa e o tipo de resposta que realmente seria importante para ela. Pense em formas de compartilhar preocupações profundas sobre questões que finalmente o convenceram a se tornar vegetariano. Se sua resposta for apresentada de maneira sensível, sem julgamentos, provavelmente será bem recebida. 

“Bem, tudo começou quando meu médico sugeriu que, por causa do alto nível de colesterol do meu sangue, seria melhor que eu comesse pouca ou nenhuma carne. Decidi comprar alguns livros de receitas vegetarianas e um deles tinha uma seção sobre as vantagens do vegetarianismo. Apresentava alguns detalhes interessantes sobre os benefícios para a saúde de dietas vegetarianas e discutia como nossas escolhas alimentares afetam o meio ambiente. Fiquei me questionando se o que estava lendo era realista, por isso decidi investigar um pouco mais. Você não vai acreditar no que eu descobri. Um dos livros que encontrei é simplesmente incrível. Se quiser, posso emprestar a você.” Ou uma versão mais abrangente: 

“Decidi me tornar vegetariano por vários motivos. Acho que uma dieta vegetariana é muito saudável e é uma maneira de contribuir com a preservação do meio ambiente. Mas o fundamental para mim foi o tratamento que damos aos animais criados para nos alimentar. Antes de virar vegetariano, critiquei um amigo meu que caçava veados e ele me respondeu que pelo menos o veado morto tinha tido algum tipo de vida e pôs em dúvida que eu pudesse dizer o mesmo dos animais mortos para eu comer. Eu realmente nunca tinha pensado sobre isso antes, por isso decidi que era tempo de aprender mais sobre minha alimentação. A imagem dos livros antigos de galinhas ciscando, porcos rolando na lama e vacas pastando contentes pelos campos logo se desfez. Quando descobri que só nos Estados Unidos mais de sete bilhões de animais são abatidos todos os anos para consumo alimentar, comecei a entender porque as condições em que viviam e morriam estavam longe do ideal. Me senti mal com tudo isso e decidi que me tornar vegetariano era a única saída. Sei que muita gente não leva a sério assuntos relacionados aos animais, mas isso fez uma diferença enorme na minha vida. Comecei a me sentir melhor comigo mesmo; acho que realmente era um dilema ético para mim. Sei que em nossa sociedade não é fácil, e que muita gente está em uma situação difícil para dar esse passo. Talvez essas pessoas pudessem demostrar de outras formas sua preocupação com o modo como são tratados os animais destinados a nossa alimentação.” Se a pergunta é feita em um tom jocoso, talvez você possa dar uma resposta rápida: 

“Acho que se foi bom para Albert Einstein, é bom para mim.” “Prefiro não comer nada que possa me morder.” “É que eu gostaria de ter uma saúde tão boa que aos 100 anos possa cuidar de um sítio e plantar verduras orgânicas.” 

Situações

O mundo nunca mais será o mesmo depois que você aderir ao broto de feijão. As pessoas parecem olhar de modo diferente para você. Olham seu sanduíche como quem indaga o que haverá entre aquelas duas fatias de pão. Algumas até mesmo evitam olhar para você no churrasco da empresa, com medo de terem de sentar a seu lado com seus enormes salsichões. As situações que você enfrenta por ser vegetariano nem sempre são fáceis. Em alguns casos, você se sente completamente despreparado. Depois que tudo passou, imagina cem formas diferentes de lidar melhor com a situação. Na próxima seção, o convidamos a se colocar no lugar de outros vegetarianos que passaram por algumas situações realmente difíceis. Como você reagiria se estivesse em seu lugar? 

1. A Esposa se Torna Vegetariana Sem o Apoio da Família 

Você é a única vegetariana em sua casa. Seu marido e dois filhos adolescentes simplesmente não estão interessados em nada disso. Você se tornou vegetariana depois de ter assistido a uma palestra com uma amiga que já vinha lhe passando algumas informações há algum tempo. Seu marido não está entusiasmado. A única coisa que deixou absolutamente claro é que não tenciona largar a carne ou comer um monte de comida esquisita. As crianças estão do lado do pai. Você se sente mal comprando e preparando carne, mas percebe que não tem escolha. Seu jantar invariavelmente consiste de batatas e vegetais com um punhado de queijo. Duas vezes por semana, você prepara uma lasanha sem carne ou um refogado picante de vegetais, que são recebidos sem problema. Mais adiante, você está encontrando uma dificuldade cada vez maior em preparar carne e chegando ao ponto de sentir o estômago virar. Você deve: 

•  Ficar agradecida por sua família comer as duas refeições vegetarianas por semana, sem muito estardalhaço, e continuar a preparar-lhes a comida de que gostam.

•  Dizer à família que não agüenta mais carne em sua casa e que se eles quiserem, que a comam em um restaurante.

•  Dizer à família que não se sente bem preparando carne e propor-lhes para ser dispensada dessa parte da preparação das refeições. 

Resultados Prováveis

a. Uma reação passiva, agradecida: Este certamente é o caminho de menor resistência no que diz respeito a sua família, mas não parece uma boa opção para você. Se esse é o caminho que escolheu, planeje fazer progressos, aumentando as refeições vegetarianas para 4 a 5 vezes por semana. Sua família criará muito menos resistência se for um prato favorito e tradicional sem carne, como espaguete. Para aumentar a variedade de sua dieta nos dias que a família come carne, faça pratos vegetarianos para você. Hambúrgueres e salsichas industrializados, feijão enlatado e tofu podem ser preparados em um piscar de olhos. 

b. Nada de carne em casa: Isso pode ser um desastre. Se você quiser ter um lar harmonioso, todos devem respeitar as opções uns dos outros. Quando um começa a dizer para o outro o que deve ou não comer, o respeito mútuo é minado. Tente um acordo aceitável com todos os membros da família. 

c. Expresse seu mal estar; peça ajuda: Essa é provavelmente a melhor opção. Muitas vezes espera-se que as pessoas que se preocupam e cuidam das outras (sejam elas mulheres ou homens) façam infinitos sacrifícios por suas famílias e esqueçam das suas próprias necessidades. Tornou-se difícil para você comprar e preparar carne, portanto, discuta esses sentimentos com a família e peça sugestões. Se as soluções vierem deles, todos ficarão mais satisfeitos com o acordo a que chegaram. De fato, talvez você possa chegar a sua meta sem ficar zangada ou triste. 

2. Convite Para Jantar na Casa de Outra Pessoa

Você e seu marido são vegetarianos há três anos. Quando começou o novo emprego na clínica dentária, ficou encantada com a recepção calorosa dos colegas. Depois de algumas semanas, um dentista os convidou para jantar. Embora sempre almocem juntos no trabalho, você geralmente traz de casa sopa de ervilhas e uma salada ou um sanduíche de salsicha vegetariana com alface e tomate. Por isso seu amigo não tinha a menor idéia de que você era vegetariana. Não sabe muito bem o que fazer em relação ao convite do jantar. Você decide: 

•  Não aceitar o convite e dar uma desculpa.

•  Aceitar o convite, sem mencionar que são vegetarianos e levar um prato de forno para o jantar.

•  Aceitar o convite, sem mencionar que são vegetarianos e simplesmente ir ao jantar.

•  Dizer ao seu amigo que adoraria ir ao jantar, mas que vocês são vegetarianos. Oferecer-se para levar uma parte da comida (um prato principal). 

Resultados Prováveis

•  Não aceitar o convite: Essa é uma saída fácil, mas pouco eficaz. Assim que você der a desculpa, outra data, mais conveniente, será provavelmente sugerida.

•  Aceitar o convite e levar um prato de forno para o jantar: Não é uma boa opção. Sua anfitriã certamente gostaria de conhecer melhor suas preferências alimentares. Ela poderia preparar uma de suas especialidades chinesas favoritas: sopa picante azeda, rolinhos primavera de repolho, tofu ao molho de feijão e verduras ao vapor em vez de lagosta fresca e filé mignon.

•  Aceitar o convite e ir ao jantar: Se você não se importa em comer carne de vez em quando, esta opção é boa, mas se é firme em sua abstinência de alimentos de origem animal, é um grande equívoco. Poderiam servir frango escaldado ao molho de vinho branco, pilaf de arroz selvagem e vegetais ao vapor. Talvez você pudesse se safar comendo apenas o arroz e os vegetais. Mas, ainda assim, o arroz poderia ter sido cozido em caldo de carne e os vegetais temperados com manteiga e lascas de bacon. O fato é que não há garantia alguma de que algum desses pratos não contenham produtos de origem animal. Lembre-se de que a refeição foi preparada em sua homenagem. Tanto você quanto a anfitriã teriam uma noite muito mais agradável se ela soubesse quais são suas preferências alimentares.

•  Dizer que vocês são vegetarianos: Esta é a melhor opção. Embora você possa se sentir como se estivesse incomodando, é uma cortesia comum fazer com que a anfitriã saiba que são vegetarianos. Logo você perceberá como ela se sente preparando pratos vegetarianos. Ela pode dizer simplesmente que está tudo bem, que eles vêm tentando diminuir o consumo de alimentos de origem animal e vão gostar de preparar uma refeição vegetariana interessante. Se perceber alguma hesitação, ofereça-se para levar hambúrgueres vegetarianos ou um prato principal. 

3. Restaurante sem Opção Vegetariana no Cardápio

O escritório inteiro está indo almoçar. Como você é nova no grupo, ninguém sabe que é vegetariana. Um de seus colegas diz: “Vocês querem comer uma comida de verdade hoje? Uma hora depois de comer naquele restaurante chinês já me dá fome”, portanto, acaba indo ao lugar especializado em assados de carne. Você se sente mal ao olhar para o cardápio: até a salada Caesar é feita com anchovas. Há uma sopa francesa de cebola, mas é claro que o caldo básico é feito com carne. Você:

•  Diz que está com um problema de estômago e não pode comer.

•  Pede um prato com o mínimo possível de carne e come deixando-a de lado.

•  Pede que o garçom sugira um prato sem carne. 

Resultados Prováveis

•  Não pode comer; problema de estômago: Isso servirá para deixá-la faminta. Pense no motivo para esconder o fato de que é vegetariana. Está preocupada que as pessoas de repente pensem mal de você? Você talvez não esteja lhes dando muito crédito. Pode ser que eles já tenham decidido que você é uma boa pessoa e o fato de ser vegetariana não vai fazê-los mudar de idéia. Cedo ou tarde, vão descobrir, por que então não economizar alguns momentos desagradáveis (passando fome) e contar de uma vez? 

•  Pede um prato com carne e come deixando a carne de lado: Pelo menos vai ter alguma coisa no estômago, mas você realmente quer pagar por este pedaço de bife? Alguns restaurantes nada oferecem a um vegetariano, por isso é desnecessário chegar a esse ponto. 

•  Pede um prato sem carne. Você captou a idéia. É muito comum esse tipo de pedido em restaurantes. Não se esqueça que muitas estrelas de cinema e muitos atletas e cientistas famosos são vegetarianos. Alguns restaurantes, que não oferecem um único prato vegetariano no cardápio, fazem maravilhosas refeições sem carne. Eles farão um macarrão cheio de vegetais frescos ou um refogado colorido com arroz servido juntamente com uma excelente salada e pão fresco. Se o garçom não parecer de confiança, peça para conversar com o chef e explique-lhe exatamente o que quer. O cardápio principal geralmente dá uma idéia do que pode ser facilmente preparado. Se houver algum refogado no cardápio, ele pode ser feito sem carne. O mesmo ocorre com vários tipos de macarrão. Se nada disso for possível, peça uma batata assada e uma grande porção de vegetais refogados. Talvez você possa também discutir o preço, para que não acabe pagando o filé mignon. Lembre-se, se puder escolher, opte por um restaurante de pratos típicos (quanto mais autêntico melhor). Restaurantes orientais, gregos, libaneses, africanos e indianos geralmente fornecem opções vegetarianas. Se puder, telefone com antecedência. 

4. Colegas de Trabalho de outra Cidade Convidados para Jantar

Três colegas de trabalho de outra cidade estão passando uma semana em seu escritório. Você decide convidá-los para jantar e, então, fica atrapalhada nos dias que se seguem, tentando decidir o que cozinhar. Você: 

a. Decide ceder e comprar peixe para a ocasião. 

b. Prepara alguns pratos vegetarianos deliciosos para eles experimentarem. Tofu assado, vegetais ao forno e beringela ao curry. Você também prepara rapidamente um pudim de alfarroba. 

c. Opta por pratos familiares, sem carne. 

Resultados Prováveis

a. Compra um peixe: Certamente esta é uma opção, mas absolutamente desnecessária. Você pode fazer uma refeição ótima sem precisar comprar peixe. 

b. Prepara pratos vegetarianos diferentes: Arriscado. Algumas pessoas têm hábitos alimentares estranhos, que não reconhecem. Seria melhor você tentar esses pratos com amigos, não com pessoas que mal conhece. 

c. Prepara pratos favoritos da família: Boa opção. É possível que nem mesmo percebam que não há carne na mesa. Lasanha, espaguete, vegetais picantes, tortillas e crepes podem funcionar muito bem. Procure servir acompanhamentos especiais: pão fresco e uma boa sobremesa, como uma torta de pêssego ou um fondue de frutas e chocolate. 

5. Jantar Festivo com Familiares

Todos os anos você se reveza com seu irmão e suas duas irmãs na preparação da ceia de Natal. Este será o primeiro ano como anfitriã vegetariana. João deixou claro que espera um peru no jantar. Helena argumentou que é apenas uma vez ao ano e que você não morreria fazendo esse pequeno sacrifício para a ocasião. Você não quer assar um peru, nem quer armar uma grande briga com a família. Decide: 

•  Ceder e assar um peru. 

•  Dizer à família que não se sente bem preparando um peru, mas ficaria feliz em preparar outros pratos, se alguém trouxer o peru. 

•  Recusa-se a ter um peru assado em sua casa. Diz a eles que podem fazer o que quiserem quando chegar a vez deles de preparar a ceia, e que é justo que você também faça o mesmo. 

•  Explica à sua família que prefere receber em sua casa para outras atividades que não a ceia do Natal. e. Vai para o México no Natal. 

Resultados Prováveis

•  Assar um peru: Essa opção deixa todo mundo feliz, menos você. Às vezes somos compelidos a fazer coisas contra nossos princípios, simplesmente porque evitamos situações de confronto difíceis. No final, suas preocupações e seus sentimentos não são melhor compreendidos e sua família provavelmente concluirá que você não se importa em preparar carne para os outros. Talvez se possa chegar a um acordo. Obviamente, essa refeição tradicional é importante para sua família e é igualmente importante para você não ter que comprar e preparar o peru. 

•  Alguém traz o peru: Este é um acordo amigável. Prepare alguns acompanhamentos gostosos e um prato principal vegetariano para oferecer. Uma abóbora gigante recheada é um belo prato para colocar no centro da mesa. Você talvez descubra que os pratos vegetarianos são os que fazem mais sucesso na festa. 

•  Nada de peru em sua casa: Às vezes não é o que você diz que cria problemas, é o modo como você diz. Lembre-se de que se o peru é o destaque do jantar do Natal para sua família, talvez não seria muito bem recebido dizer-lhes que não haverá peru esse ano. Pode gerar muita tensão em uma época em que supostamente a alegria e o amor devam encher corações e lares. Isso não quer dizer que você deva ceder e consentir em ter um peru em sua casa quando se sente realmente mal com isso, mas talvez seja a melhor maneira de alcançar aquele objetivo. 

•  Oferecer-se para fazer outra coisa. Excelente opção para quem não deseja ter em casa um peru no jantar. Há várias maneiras de participar dos festejos natalinos, além da ceia de Natal. Que tal oferecer uma noite de jogos e servir petiscos, como patê de avelãs com pão de centeio, cogumelos recheados, kebabs (espetinhos) de frutas frescas e um bolo especial de Natal? Outra alternativa é um café-almoço e jogo de cartas. Você pode estar iniciando uma nova e saudável tradição na família. Com o tempo sua família vai se sentir melhor com as refeições vegetarianas e a idéia da ceia de Natal sem peru pode se tornar uma possibilidade real. e. Ir para o México. Não é uma má idéia, mas você vai enfrentar o problema do peru no ano seguinte. 

6. Fazem troça dos Adolescentes por Usarem Sapatos de Couro

Seu filho adolescente é um vegetariano convicto. Na verdade, virou vegetariano dois anos antes de você. Leva sanduíches de tofu para a escola e não parece se importar com o que as outras crianças dizem. Certo dia, ele chega em casa aborrecido e conta que os colegas estão caçoando dele por usar sapatos de couro. Estão dizendo que, se ele realmente se importa com os animais, não deveria usar sapatos de couro. Dizem também que não há uma grande diferença em comer um bife e usar sapatos de couro. Ele pede conselho. Você lhe diz: 

•  Simplesmente ignore pessoas desse tipo. 

•  Se seu filho abstém-se de carne, mas consome outros produtos animais, lembre seus amigos que não é uma situação de “tudo ou nada”. O couro é um subproduto do abate de milhões de vacas. Ao abstermo-nos de carne, diminuiremos sua demanda, reduzindo também esses subprodutos. Isso beneficiará tanto os animais quanto o meio ambiente. Se a demanda por subprodutos diminuir muito, os fabricantes produzirão alternativas aceitáveis. A exclusão da carne de nossa dieta é, por si só, uma forte afirmação disso.

•  Se seu filho é quase vegan e abstém-se de outros produtos animais além de alimentos, ele está fazendo uma forte afirmação contra o abate de animais e pode aproveitar a oportunidade para educar seus colegas de uma maneira muito positiva. Ele pode contar-lhes que suas mais recentes aquisições não contêm produtos animais, mas que usará os sapatos que ainda possui até se estragarem. Explique que se abster completamente de produtos animais é mais penoso do que se imagina. Em nossa sociedade, é quase impossível excluir todos os produtos animais, a não ser que nos mudemos para uma ilha deserta. Sabonetes, xampus e cremes muitas vezes contêm produtos animais. Cordas de instrumentos musicais e raquetes de tênis, filmes, vídeos e cosméticos contêm produtos animais. Até mesmo roupas de algodão e solas de sapatos que não são de couro, muitas vezes, são feitas usando componentes animais. Entretanto, à medida que mais e mais pessoas recusam-se a comprar artigos que contêm produtos animais, nossas opções melhorarão. 

Resultados Prováveis

•  Ignorá-los: Isso não ajudará realmente seu filho adolescente a lidar com situações difíceis similares, nem ajudará os adolescentes que estavam caçoando dele a entender o que realmente está em questão. 

•  Situação tudo ou nada: No mínimo, os colegas de seu filho poderão avaliar melhor a conexão entre nossas escolhas alimentares, o bem-estar dos animais e o meio ambiente. Provavelmente compreenderão que o fato de abster-se de carne é, em si, uma contribuição significativa. Esse tipo de discussão pode fazê-los pensar um pouco mais sobre suas próprias escolhas alimentares e os sapatos de couro perderão a importância. 

•  Abster-se de produtos animais: Os amigos de seu filho provavelmente ficarão impressionados com a extensão do uso de produtos animais em nossa sociedade. Terão uma idéia do quanto é difícil eliminar completamente esses produtos de nossas vidas. É possível que passem a respeitar seu filho pelo compromisso assumido com a causa. Ao transmitir essas idéias, ele criará um laço com outros que estão tentando tornar o mundo um lugar melhor. 

7. A Primeira Convenção de Trabalho como Vegan

É a primeira convenção de que você participa desde que se tornou vegan. Nunca tinha sido muito difícil como ovo-lacto-vegetariano, uma vez que a maioria dos lugares prepara um omelete sem maiores problemas. Você não tem tanta certeza se as coisas serão tão fáceis, agora que eliminou o leite e os ovos. É bom saber que as empresas aéreas oferecem refeições vegans, além das opções vegetarianas costumeiras. Não esqueça de indicar sua opção alimentar ao fazer as reservas de vôo. Você fica agradavelmente surpreso com a refeição: bolo de lentilha com molho de tomate, arroz, brócolis, um pãozinho de trigo integral e morangos frescos de sobremesa. Chega ao centro de convenções e encontra uma cestinha de frutas frescas em seu quarto. É um presente! Talvez as coisas não corram tão mal assim. Na manhã seguinte, você desce para o café da manhã e pede mingau de aveia, torrada de pão integral sem manteiga e suco de laranja natural. O almoço será depois de uma reunião, por isso você pensa que será um bufê. Tem quase certeza que terá pelo menos uma salada, batatas e pãezinhos. Para seu desencanto, o almoço é servido nas mesas. Uma quiche de presunto com uma saladinha minúscula e um pãozinho branco são colocados a sua frente. Seu estômago vira com o cheiro do presunto e dos ovos que impregnam o ar. Você decide: 

•  Comer o pãozinho com a salada e consultar a programação para ver se foi planejado outro evento similar, para que possa fazer um pedido com antecedência. 

•  Decide esperar até o jantar para comer. 

•  Diz ao garçom que é vegetariano e pergunta se é possível lhe servirem outro prato. 

Resultados Prováveis

•  Comer o pãozinho com a salada: Essa provavelmente é a saída mais fácil, mas não necessariamente a melhor opção. A pessoa que se senta ao seu lado pode receber um ótimo prato vegetariano, assim que você acaba seu pãozinho. (É preciso passar por isso apenas uma vez para perceber que vale a pena perguntar). 

•  Esperar até o jantar: Além de deixá-lo com muita fome, você provavelmente atrairá atenção indesejada para o fato de não estar comendo. 

•  Pedir outro prato: O que você tem a perder? A maioria dos bons hotéis são muito versáteis. Muito provavelmente lhe servirão uma refeição que fará as pessoas em sua volta desejar o mesmo. O pior que pode acontecer é o garçom dizer que sente muito, que não podem preparar nada. Nunca vimos isso acontecer, portanto, suas chances de conseguir uma alternativa razoável são muito boas. 

Dicas para se Sair Bem

•  Preocupe-se com os animais e o meio ambiente, mas respeite os demais seres humanos. Sua preocupação com os animais e o meio ambiente demonstra reverência pela vida e compreensão da fragilidade da Terra. O valor dessas qualidades é imenso, mas elas devem ser cuidadosamente equilibradas com um profundo respeito pelos demais seres humanos. Considere sempre os efeitos potenciais do que diz e faz na vida das pessoas que estão a sua volta. 

•  Ouça outras pessoas e incentive-as com suas palavras. É fácil julgar alguém sem realmente compreendê-lo. Quando fazemos isso, todos perdem. Se esperamos que os demais ouçam nosso ponto de vista, temos que começar por ouvir o deles. Ao ouvirmos outras pessoas, não apenas as conheceremos melhor, como poderemos apoiá-las e incentivá-las. Humilhar não ajuda em nada, serve apenas para magoar e afastar as pessoas. Em vez disso, incentive-as com suas palavras. 

•  Divida suas experiências de forma positiva. Em nossa sociedade, onde a carne está à frente e no centro da maioria dos encontros sociais que envolvem comida, o vegetariano pode se sentir um pouco intimidado. Lembre-se de pessoas como George Bernard Shaw e Gandhi que se orgulhavam de serem vegetarianos e de terem algo para compartilhar. A tentativa de impressionar pessoas com longos sermões sobre os pecados do consumo de carne e esperar convertê-los em fãs de tofu resultará em desapontamento. Em vez disso, inspire-os com o exemplo de uma vida saudável. Convide os amigos para uma ótima refeição vegetariana ou leve um delicioso prato vegetariano típico de algum país para a festa da empresa. Divida com eles receitas e livros. Pode até convidá-los para o curso de culinária vegetariana. 

•  Aprenda a rir de si mesmo e de algumas situações difíceis em que se meteu. Você pode passar pela vida com uma atitude reprovadora e carrancuda em relação a tudo, ou pode compreender que há um pouco de humor nas situações mais incômodas. Relaxe e ria um pouco. Isso provavelmente o fará viver tantos anos a mais quanto sua dieta vegetariana. Embora possa não ser fácil, tente perdoar e esquecer. As pessoas podem dizer coisas que magoam sem nem mesmo perceber. Ficar ressentido não o fará sentir-se melhor, apenas mais estressado. 

•  Compreenda que não pode sempre fazer escolhas perfeitas. Pense em suas metas na vida e estabeleça prioridades. Para muitas pessoas, a prioridade número um são as pessoas que amam. Como vegetariano, suas escolhas podem ser muito diferentes das opções do restante de sua família. Você pode até comer um pouco de carne, frango, peixe, leite ou ovos para evitar ofender alguém que estima. Se o fizer, não se sinta culpado: a maioria das pessoas faz isso para seguir seus corações. Por outro lado, se optar por excluir completamente certos alimentos de origem animal, compreenda que isso terá de ser uma prioridade em sua vida. Terá de planejar com antecedência, consultar restaurantes e conferências, avisar a família e os amigos quando for fazer uma refeição com eles e levar comida apropriada, sempre que for necessário. 6. Informe-se bem. Se quiser defender um estilo de vida vegetariano, informe-se sobre o assunto. Leia tudo o que puder, faça cursos, assista palestras e ouça todos os tipos de opinião. Não apenas ficará mais confiante, como estará mais preparado para lidar com questões e preocupações de uma maneira clara e lógica. 

Fonte: Do livro   ” A Dieta Saudável dos Vegetais

Brenda Davis, Vesanto Melina e Victoria Harrison

Tradução: Marly Winckler

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s